20 de dez de 2013

0

O Plebeu

Posted in





Numa noite encantada
Senti teu corpo arder no meu
Senti teus lábios me tocarem
Mas não passava de um plebeu

Teu amor não passou de engano
E como a neve desvaneceu
Eu não sabia que era esse o plano
E nunca deixei de ser seu

Lutaria se necessário fosse
Para tê-la de novo em meus braços
Transformaria o amargo em doce
Prender-te-ia em meus laços

Mas no crepúsculo vespertino
Senti de longe o teu desdém
Não se pode lutar contra o vento
E por um amor que não se tem




0 comentários:

2

Nada

Posted in



Vejo tudo em preto e branco
Desconheço um sorriso
Ouço gritos e vejo o pranto
Abstenho-me do paraíso

Mudaria se pudesse
Lutaria com bravura
Amaria se soubesse
Substituiria por amor essa loucura

Hoje vivo em solidão
Desconheço o que é a alegria
Não tenho sonhos, só vejo ilusão
Se a felicidade existisse talvez eu o saberia

Não sinto medo nem saudade
Não entendo como tudo mudou
Não tenho lembranças nem vaidade
Só vejo pinturas vazias do que outrora alguém sonhou


2 comentários:

19 de nov de 2013

3

Conquista






Todo ciúme que há em mim
Tem um nome e uma razão
É o amor da minha vida
Que me causa essa aflição

Ele sabe que o amo
E ainda assim não corresponde
Só me deixa admirá-lo distante
E aos meus flertes não responde

Isso muito me dói
Apesar de não demonstrar
E fico sonhando acordada
Com aqueles lábios a me tocar


O incêndio que isso me causa
É bem visível e generoso
Mas, conquistar um sedutor
É difícil e perigoso...




3 comentários:

15 de nov de 2013

1

Livro em Destaque: Melancolia - Crônicas entre o Bem e o Mal

Um livro maravilho da minha talentosa amiga Agalha de Assis!
Este é seu primeiro Livro publicado mas já é garantia de sucesso!!!




Usando as palavras do meu amigo escritor Chris Robers:

Hipócrates, o pai da medicina caracteriza a melancolia como alguém sobre a influência de Saturno, o Cronos grego, senhor do tempo.

Freud vai além, para quem a melancolia é como o luto, mas sem perda que a caracteriza, ampliando seu vazio.

No Romantismo, a melancolia era um estado emocional apreciado, pois representava uma experiência que enriquecia a alma.

Melancolia de modo geral define um estado emocional caracterizado pela sensação de impotência, inutilidade, pensamentos negativos e as até mesmo ideias constantes de morte.

A celeridade do tempo, luto e morte, luta, vazio, perda, impotência, negativismo. Se este é um pouco do escopo de temas sobre os quais Agatha de Assis se debruça em seu livro, muito diferente é a atitude que o eu lírico adota diante deles.

Crônicas aparentemente fragmentadas, vão ganhando corpo na medida em que avançamos por suas páginas, e assumindo dimensão de uma grande investida sobre o que propõem.

É difícil não pensar que de algum modo estas crônicas-cartas não se tratem do processo de aprendizado e amadurecimento da própria autora, posto que em cada uma de suas linhas o verbo está em carne nua, empunha sua emoção como lança e uma fé no melhor como verdadeiro escudo.

A voz que encontramos em Melancolia é bem a garota da bela capa de seu livro, e vejo-a atravessando a densa floresta negra "que se insinua no canto inferior direito" com determinação, tendo seus olhos presos na coruja (a própria sabedoria personificada) lá no fim da trilha, onde a floresta (melancolia) é superada.



O Chris disse tudo pois a Agalha de uma forma simples consegue tocar nossos corações com suas "Crônicas-cartas" como ela costuma dizer. E tudo acontece tão naturalmente que quando percebemos já estamos envoltos por aquela sensação. Ela conseguiu encontrar beleza na melancolia e acho que todos devem concordar que esse é o tempero da alma de um poeta e porque não dizer dos bons escritores também...








E todos devem concordar que além
 de talentosa ela é linda!!



Eu já li e recomendo!!!

1 comentários:

31 de out de 2013

0

Livro em Destaque: Eu Meu Pai e Meus Outros Amores da Autora Lilian Reis

Posted in
 O livro em destaque desta semana é :  Eu Meu Pai e Meus Outros Amores, um livro maravilhoso que eu tenho o orgulho de dizer que pude estar presente no Lançamento!



O livro nos conta a historia de Jade uma linda jovem mimada que após um terrível acidente vai morar com o pai. Abandonando a grande cidade do Rio de Janeiro para morar no interior de Minas. Durante a leitura podemos ser transportados para dentro da historia e assim junto com ela percebemos a importância da família, mesmo que esta não seja convencional.
     Não podemos deixar de citar os amores que Jade desperta com sua chegada. Conhecemos Duke, o filho mais novo de sua madrasta que é realmente apaixonante, mas ninguém nessa estoria arranca mais suspiros que Fred, um legitimo gato, mas que nem de longe lembra um príncipe encantado e com esse seu jeito rude conquista o nosso coração! Mas e Jade será que ela conseguirá derrubar as barreiras do orgulho e conseguirá ser feliz nesta nova vida? Perdoará o pai e passará por cima dos seus sentimentos de rancor?
     Descubra as respostas e se emocione com este livro maravilhoso!!




Eu amei e recomendo!!

0 comentários:

16 de out de 2013

2

Lançamento de Sempre Vai Haver Uma Canção - Quando nada Mais Importa -

Posted in
Meu livrito será lançado na Livraria Leitura do BH Shopping no dia 9 de novembro as 15 horas!!!
Estou mais que ansiosa e espero que gostem da continuação de Sempre Vai haver Uma canção!!


Título: Sempre Vai Haver Uma Canção – Quando Nada Mais Importa –
Autora: Daiane Duarte
Editora: Multifoco
Edição: 1° / 2013
ISBN: 978.85.8273.371.4
Páginas: 264



   
    Como a música pode mudar a sua vida?
    Como conviver com um passado cheio de culpas e remorso?
    Como ser feliz após destruir os sonhos de alguém que se ama?

     Encontre as respostas lendo Sempre Vai Haver uma Canção- Quando Nada Mais Importa -
   Um livro envolvente que conta a história de uma jovem universitária que após perder a mãe para um câncer é obrigada a conviver com o pai que sempre fôra ausente.
    Ela amadurece diante dos nossos olhos e aprende lições que lhe serão úteis durante a vida inteira.
    Podemos pegar carona neste aprendizado, aprendendo assim através dos olhos dela o sentido do amor e da família e a quebrar as barreiras do orgulho e do preconceito para preservar uma grande amizade.
    O livro destaca também uma parte da sociedade que ainda vive esquecida no nosso país. Os surdos hoje não tem uma estrutura educacional apropriada. Apesar de LIBRAS ser o segundo idioma oficial do país desde 2004, ainda não vemos nenhuma melhora. Órgãos públicos e privados continuam a não oferecer um atendimento adequado para essas pessoas.
    Uma personagem importante no livro destaca estas dificuldades de uma forma simples que tenho certeza que tocará o coração do leitor e quem sabe possa atingir seu maior objetivo que é o de conscientizar as pessoas.
    
     O que fazer quando nada mais importa?
     Encontre a resposta ou se perca nos transtornos de uma mente cercada por belas canções.

Conto com a presença de todos vocês neste dia tão importante




Livraria Leitura BH Shopping




2 comentários:

1

Grilhões

Posted in





Me encontro em falência
Estou inteira e enfraquecida
Perdi toda minha descência
Já nem posso ser corrompida

Me transformaste em desvaneio
Me moldaste segundo seus feitos
Partiu o que era ao meio
Tirou minha vida por direito

Convencida a me doar por completo
Suportei viver escravizada
A submissão era um decreto
Mesmo não sendo amada

Mas no fim vi que era pretexto
Resolvi me soltar e sozinha sofrer
Desvincular-me do seu contexto

Enfim, não há nada a temer





1 comentários:

11 de out de 2013

3

Sozinha

Posted in









Quem vive de catira

Não muito longe caminha

Um amor que se perde

Na verdade nem o tinha


Trocar carinhos combinados

Com vários rostos diferentes

Deixa marcas pelo corpo

E um coração nada contente


E no fim só fica dor

Solidão cobre o incerto

Sem companhia nem amor

Nem uma alma por perto



3 comentários:

8 de out de 2013

0

Esgotada

Posted in






Você abusa de minha bondade

Faz o que quer e o que sente

Sou um brinquedo manipulado

Que não sabe como se desprende


Se percebo, quero te odiar

Com poucas forças tento lutar

Embora saiba que nada domino

Que um nó daria em meu destino



E então novamente estaria

Perdida em lábios de mentira

Convencida de que sei a verdade

Mas não diria nem a metade






0 comentários:

4 de ago de 2013

6

Fim?

Posted in


Numa noite sem luar
Em intensa escuridão
Eu ouvi o seu chamado
E senti seu coração



Respondi com a minha alma
Me sujeitei a emoção
Mas como posso reavê-lo?
Se não sei a direção?

Uma estrela me guiava
Uma voz me conduzia
Mas a dor me sufocava
E a morte me seguia

No meu ultimo suspiro
Sua imagem me cegava
Beijei teus lábios nos meus sonhos
Eis alguém que eu tanto amava







6 comentários:

10 de jul de 2013

2

Luks Teixeira











"Todo mundo foi pra rua
encher as arquibancadas.
E eu fiquei aqui sozinho,
Assistindo da sacada.

A festa é de todo mundo,
Ela apenas não é minha.
Decidi fazer a festa
Eu, o violão e a caipirinha.

Danço eu e a solidão
Até a noite virar dia.
Eu grito e bato_"pés no chão!"
Eu, a caipirinha e o violão.

Minha mãe pintou a cara
Com pó-de-arroz verde-amarelo
E ganhou bala perdida
Com sabor de caramelo.

A festa é de todo mundo!
E somente não é minha.
Decidi fazer a festa
Eu, o violão e a caipirinha.

Danço eu e a solidão..."


2 comentários:

7 de mai de 2013

0

Cobranças

Posted in



Vim lhe cobrar o amor que existia em mim
Toda a pureza que tive um dia
Cobrar os planos que fizemos
Os sonhos que construí

Vim cobrar sua presença, suas juras
Minha alegria, a felicidade planejada
Cobrar minha inocência, a fé que roubaste
Que levaste junto a teus lábios

Vim te cobrar a perturbação dos meus ossos
A inquietação que habita meu intimo
A ansiedade que atormenta o meu sono
Que ronda os meus dia e assombra as noites

Cobrar você aqui cumprindo suas promessas
Permitindo-me cumprir as minhas
Fazendo jus suas palavras, honrando nosso laço
Preenchendo o vazio que ficou

Vim cobrar nós dois corrigido as falhas
Completando a mim, sendo nós
Cobrar a vida na qual morro a cada dia
Cobrar o fim, o adeus que se fez presente e nunca ouvi...

 








0 comentários:

24 de abr de 2013

6

A dança

Posted in




No ritmo leve e dançante do amor
Você me conduzia
Em passos leves me guiava
Nunca entendi o poder que tinhas sobre mim
Apenas me deixava ser guiada

Fechava os olhos
Mas mesmo assim ainda te via
Pelo reflexo que na luz girava
Tentei dançar com outro
Enquanto você sorria
Mas de nada adiantava

Eu sabia que entre nós ainda havia sintonia
E que você apenas disfarçava
Sabia que no seu sorriso
Havia mais melancolia
Do que minha alma imaginava

Conduzi-me sozinha
Por todas as vezes que te vi se deleitando
E aproveitando a vida
Que de mim se foi roubada

O tempo passou e continuei te amando
Mas me odiando por cada passo que se dava
Como posso te amar te odiando
Se num compasso errado tudo se acaba?


6 comentários:

10 de abr de 2013

11

Mentias

Posted in



Onde estão seus braços
Que nas tuas juras me acolheriam
Teu colo a consolar meu pesar
Ou o som da voz que meu pranto acalmaria
Por onde vagueias, junto a seus lábios
Quando eu sorrio a vinda de um novo dia
Onde estas todas as manhãs quando abro
De alma acesa, os olhos que aplaudias?

Por onde andas que minha voz não alcança
Que suas promessas não se cumprem
Que mesmo o tempo não é forte para apagar
Nem a vida para trazê-lo de volta.

Até o mais puro símbolo quebrou-se
Foi-se o amor e do que dele esperei
Deixou de ser aliança, negou-se
Ficaram as palavras, as juras que não realizei
Hora alguma disse-me que mentias
E que todo seu amor era vazio
Sabendo que pra sempre me tinhas
Perdeu-me negando-me o carinho


11 comentários:

4 de abr de 2013

2

Ansiedade

Posted in











Quando cheguei a dizer o que sinto
Já sabia que ia me entristecer
Não sei se pra você eu minto
Ou se me deixo enfurecer

Meu rosto por todo desvelado
A sua imagem tenta refletir
O segredo por mim não revelado
Faz meus olhos buscarem por ti

Sua surpresa não me apavorou
Meu labor inclui noite e dia
Mas o que não me alegrou
 Foi seu desgosto que repudia

Estava certo em te chamar de minha
Até saber do seu desdém
Quem lhe disse a rumo caminha
Nos separar, pois não te tem.

Sei que o manifesto era incerto
Sua pureza é imune me ferir
Mas o que permanece em aberto
É se agora juntos podemos ir.


.

2 comentários:

26 de mar de 2013

0

Ausente de Mim

Posted in
 
 
Hoje só meu corpo esta presente
A mente vagueia por campos
Que ate eu mesma desconheço
Quem me trará a realidade?

Hoje meus olhos apenas veem,
Mas não enxergam nada
Não consigo compreender onde estou
Aonde, se não me encontro em mim?

A quem meus pensamentos buscam
Tão debalde que permaneço aqui sem reação?
Onde me encontro perdida nesse estranho 'eu'?

Hoje são meus pés quem me guiam.
É a rotina quem me leva e trás
Há um labirinto vazio e simplesmente nada faz sentido.


 

 

0 comentários:

24 de mar de 2013

4

Inexorável

Posted in






Tão intenso como o sol de verão
Tão claro como a lua cheia
É o amor que sinto por ti
Eis a paixão que me incendeia

Teu olhar me transporta para o mundo dos sonhos
Tua voz me eleva e me faz acreditar
Teu sorriso me ilumina
Mas tua indiferença faz meu amor aumentar

Teus lábios tem poder sobre mim
Um poder que pode transpor a morte
Algo que pode ser inexorável como aço
Próximo a eles não sei o que é ser forte

És meu sol e minha lua
És a tempestade a e brisa refrescante
És o começo e o fim
És o melhor dos amantes




4 comentários: