11 de out de 2013

3

Sozinha

Posted in









Quem vive de catira

Não muito longe caminha

Um amor que se perde

Na verdade nem o tinha


Trocar carinhos combinados

Com vários rostos diferentes

Deixa marcas pelo corpo

E um coração nada contente


E no fim só fica dor

Solidão cobre o incerto

Sem companhia nem amor

Nem uma alma por perto



3 comentários:

  1. Olá Gleyce lindo blog,lindos poema parabéns!!Beijinhos.

    ResponderExcluir
  2. O amor precisa de muito mais que variedades, é egoista. Bjs.

    ResponderExcluir